Blog

Dicas para o pais

O propósito deste post é contribuir com pais e mães, em sua nobre e complexa MISSÃO de criar seus filhos. São dicas simples e fáceis de serem colocadas em prática, mas que podem fazer enorme diferença na VIDA das crianças e das famílias. Após ler este post, talvez, você comece a perceber que podemos e devemos criar um mundo melhor e que isto começa dentro da nossa própria casa.

Estudando psicologia comportamental, entendi que nunca devemos criticar nossos filhos de forma destrutiva. Não há nada mais destrutivo para a vida de uma criança do que ser criticado destrutivamente pelos seus pais. Os pais deveriam dizer, diariamente, que amam seus filhos. Isto pode ser feito, verbalmente ou comportamentalmente, de 3 maneiras, conforme minha pesquisa junto a especialistas.

1 – Ame incondicionalmente

Deixe claro para o seu filho, que não há nada no mundo que possa diminuir o seu amor por ele. Isto o tornará seguro e com auto-estima elevada.

2 – Dê muito carinho

Coloque abraços, toques delicados, olhares cheios de afeto e atenção verdadeira. Misture esses ingredientes em quantidades ilimitadas e tempere com limites. Esse é o segredo que vai fazer da criança um adulto feliz e seguro.

Carinho protege

A afirmação é de uma pesquisa que avaliou 482 moradores do estado de Rhode Island, nos Estados Unidos, na infância e, depois, aos 38 anos. O estudo, publicado em 2010 pela Duke University, concluiu que a construção de um vínculo afetivo forte com a mãe contribui não só para diminuir o stress da criança como para ajudá-la a desenvolver habilidades para lidar com as pressões da vida adulta. Os pesquisadores verificaram que as crianças cujas mães se mostraram mais afetuosas eram as que apresentavam os menores índices de ansiedade, hostilidade e perturbação geral.

3 – Dê atenção ao seu filho

Outra pesquisa aponta que meninos recebem a mesma atenção que meninas até a idade de 1 ano. De 1 a 5 anos, os meninos recebem 20% menos carinho do que uma menina e muitos psicólogos apontam esta realidade como a causa dos meninos serem tão estabanados e agitados. Estabeleça uma rotina diária de atenção, dedicando-se a ouvir e prestar atenção com tempo e qualidade.

Para entender as demandas de seu filho, é preciso observá-lo. Segundo Magaly Miranda Marconato, professora de psicanálise da criança do Instituto Sedes Sapientiae, em São Paulo, as mães atuais têm múltiplas funções, mas o dia precisa ser planejado de modo a sobrar tempo para os cuidados com a criança. Só a convivência permite conhecer e responder, rapidamente, aos seus anseios. E 15 minutos de bilu-bilu, por dia, não bastam para criar sintonia. Mesmo que seja para levantar mais cedo ou adiar parte do trabalho para depois que o filho adormecer, tem que pôr a mão na massa, em vez de delegar todos os cuidados.

Alguns pais preferem gastar horas pesquisando ou até fazendo cursos para identificar se os filhos estão usando drogas. Isto não faz sentido. Deveriam gastar este tempo conversando com seus filhos, participando mais ativamente de suas vidas, conhecendo suas dúvidas e preocupações.

Não basta participar. É preciso contribuir…

6 Comentários »

  1. Izabela Bellini disse:

    Olá Julio! Gostei muito deste post. Como mãe e educadora acredito que e presença participativa e atenta dos pais faz toda diferença na educação das crianças. O testo é simples e rico. Obrigado pelas dicas.

    • Julio Panzariello disse:

      Olá Izabela! Eu fico feliz e grato com a tua contribuição. Para mim é muito gratificante vê-los participando, pois me enche de energia.

      Muito obrigado!

  2. Ana Claudia Nardiello disse:

    Julio, eu gostaria de parabenizar a Dra. Claudia Maia por ela ter sido tão objetiva em seu comentário, e eu gostei muito quando ela fala que tudo passa de geração para geração, e isto é o que todos deveriam ter consciência. Os limites são necessários sim, ensinando com amor e criando um vínculo de verdadeira amizade com nossos filhos, através do exemplo maior que somos nós pais e mães. A criança sente desde o ventre materno se ela é amada ou rejeitada. Devemos ser cuidadosos com nossos atos. Eu penso que o nosso lar é nossa maior empresa, e é dentro dos nossos lares, onde tudo se inicia. Sabemos que uma sociedade não se transforma apenas por meio de leis, pois estas, como os costumes, nada são sem os ideais. Para melhorar a forma de uma sociedade, é necessário, antes de tudo, trabalhar sobre a inteligência e sobre a consciência de cada indivíduo. Só assim teremos um futuro melhor.

    Mais uma vez parabéns por mais um tema de suma importãncia para toda sociedade.

    Ana Claudia Nardiello

    • Julio Panzariello disse:

      Olá Ana!

      Muito obrigado pela participação e contribuição. Imagine como o nosso mundo seria diferente, se mais e mais pessoas tivessem acesso a este conteúdo.

      Desejo o máximo e o melhor para ti.

  3. Cláudia Maia disse:

    Julio, esse assunto me fascina. Trabalho muito com pais e percebo claramente como que muitos deles estão perdidos sem saber a medida certa do amar, dar limites, permitir e negar. O seu texto está simples e rico em sabedorias tão simples. Alguns desses pais comentam do desejo de passarem por um curso onde pudessem aprender como exercer a função de pai e mãe. Muitas vezes os pais vão passando para os filhos frustrações que não são deles e, sim, dos seus pais. Mas, como não foram resolvidas lá atrás, elas vão sendo repassadas de geração a geração. Isso gera crianças agressivas, deprimidas e, consequentemente, adultos infelizes, inseguros. Mais uma vez parabéns pelas produções.

    Dra. Claudia Maia
    Psicóloga, especialista em Hipnose Ericksoniana

    • Julio Panzariello disse:

      Olá Cláudia!

      Eu também sou fascinado por este assunto. E que impressionante o seu depoimento. Pelo visto meu estudo e pesquisa seguem pelo caminho certo.

      Muito obrigado! Me sinto grato e honrado.

Postar um comentário