Blog

Para onde você vai?

Você sabe para onde está indo? O que você realmente deseja? Você conhece os seus valores, crenças ou propósito de vida?

Se a sua resposta foi não, é possível que a sua vida esteja meio sem sentido.

“Um dia, Alice chegou a uma bifurcação na estrada e viu o gato Cheshire numa árvore.“Que caminho devo tomar?’ Perguntou ela. ‘Onde você quer ir?’ Indagou o gato. ‘Eu não sei’. Alice respondeu. ‘Então, qualquer caminho serve.’”

Um dos grandes males do nosso tempo é a depressão, transtorno que pode ser definido como uma falta de paixão pela vida, uma falta de sentido que tem sua origem na não realização de desejos. Para ter paixão, é preciso estar envolvido em algo que seja importante para você. Não menos comuns, a angústia e a ansiedade também são resultado de uma desconexão consigo mesmo. Por que isso acontece?

Desde muito cedo, somos ensinados a ser obedientes e disciplinados, respeitando ritmos externos e ignorando nossos próprios ritmos. Repare nas crianças, de 2 a 4 anos elas são totalmente criativas. De 7 anos, em diante, a sua criatividade cai drasticamente pela imposição de regras e adaptação à cultura, a qual estão inseridas. Esta imposição do ritmo de outros, às nossas vidas, é o que gera a desconexão. Seguimos assim pela vida e, quando nos damos conta, não sabemos mais o que realmente queremos. A conseqüência disso é uma vida mecânica e sem criatividade.

Pense nas pessoas que você conhece. Você conhece alguém que vive se queixando de estar angustiado, insatisfeito ou se sentindo incapaz de mudar? A sensação comumente descrita por elas é de impotência, de estarem sendo levadas pelo “rio da vida”, ao invés de assumirem o controle da situação. Isso gera grande desconforto e não é possível ser feliz assim.

Agora, pense na sua vida. Existem divergências entre o que você está fazendo agora e o que é realmente importante para você? Se existem, talvez você perceba que a sua vida, até este momento, não está caminhando como você gostaria. Porém, é preciso que você saiba que há tempo de mudar tudo, não importa a sua idade nem o que está fazendo agora. O que importa é o que fará daqui em diante…

“Uma pessoa sem metas é como um barco à deriva.”

O que fazer?

É aqui que entra o conceito de meta. O que é uma meta? É um ponto definido onde se quer chegar. Para que você coloque o seu barco no mar, é importante que tenha em mente seu porto de destino. Uma meta é a definição do porto de destino. Aqui está a CHAVE MESTRA!

Com a chegada do ano novo, milhares de pessoas desejam coisas novas para as suas vidas, mas a verdade é que a grande maioria não vai fazer nada para isto se realizar. Sonhar não é o suficiente para obter êxito naquilo que queremos. É preciso agir!

Para atender a esta necessidade de grande parte das pessoas, a JS Treinamentos & Coaching criou o Workshop Mind Academy. Neste treinamento inédito serão apresentadas técnicas, ferramentas e metodologia para obtenção de objetivos pessoais e profissionais de uma maneira que temos a certeza de que você nunca ouviu falar. Trata-se do fantástico mundo do coaching e da PNL aqui reunidos!

“Você não pode voltar no passado para ter um novo começo. Mas você pode começar agora e construir um novo futuro.”

É comum encontrar pessoas que, ao chegarem na reta final de suas vidas, verificam que poderiam ter tomado um rumo bem diferente. Só que aí já é muito tarde. O momento de agir é AGORA e assim mudar e moldar o seu destino.

Se isso fez sentido para você, não perca tempo! Não espere mais para iniciar uma nova etapa da sua vida.

Workshop Mind Academy

4 Comentários »

  1. Cláudia Maia disse:

    Oi Julio,

    Adorei o post, muito bom. Ficou claro e envolvente.
    Acabei de lhe enviar um e-mail.
    Beijos

  2. Flavina Braga disse:

    Julio, estabelecer metas é a chave mestra, é o primeiro passo para se alcançar qualquer objetivo. Isso você deixou claro em sua fala. Penso também, o quanto amplia a importância dessas metas, não apenas no campo profissional, mas pessoal, saúde, relacionamentos. Pessoas que conduzem suas vidas sem metas tendem a se perder no processo. Isso sem contar com a frustração natural que procede, a insatisfação, que levam ao que você citou como o grande mal do nosso tempo. Tenho um exemplo enorme dentro de casa, de superação de dor pela perda e ausência. Minha mãe (83) reagiu tão grandemente a esses sentimentos, buscando saídas, estratégias e com uma compreensão clara de que, caso contrário, ela não resistiria. Com a ajuda necessária ela encontrou a forma correta. A força interior, a lucidez e essa organização nos levam a realizar nossos sonhos sim. A hora certa existe, mas com atitudes certas, meios certos.”Faça a sua parte que eu farei a minha”… palavras do Mestre.

Postar um comentário